T40, a JAC Motors de volta à briga

Notícias

08/08/2017
T40, a JAC Motors de volta à briga

O segmento de SUV é a menina dos olhos das montadoras e agora começa a ganhar contornos interessantes com a chegada do novo modelo da montadora chinesa

2017 está se tornando um ano muito interessante, na briga por um lugar no mercado, as montadoras investem pesado no segmento que promete ser urbano, esportivo e off - road ao mesmo tempo, alguns são “arranjados” outros modificados, poucos são aqueles que já nascem com essa característica e para esse fim, a grande maioria tem irmãos menos metidos, na verdade são projetos de hatchs que viram SUVs trocando rodas, colocando frisos e deixando os pára-lamas mais, digamos, “bombados”.

Eu fui convidado para conhecer o JAC T40, o novo modelo da montadora chinesa e que deveria ter uma história gloriosa no Brasil por alguns motivos:


- o seu projeto foi bancado pelo Sergio Habib, dono do Grupo SHC e representante da marca por aqui;

- seria o primeiro modelo da montadora fabricado fora da China, aqui no Brasil e na unidade de Camaçari, na Bahia;

- ele nasceu Crossover com uma nova plataforma inaugurada nesse modelo, é uma concepção nova em conjunto com o centro de design na Itália.


Mas, e sempre existe um mas, as coisas não aconteceram como previstas e o modelo acabou mesmo sendo montado e lançado na China em 2015, isso porque a fábrica brasileira não ficou pronta e o inovar-auto chegou para tirar o sono dos importadores que atuam no Brasil.

O interessante é que, mesmo com todos esses percalços pelo caminho, o JAC T40 deve seguir sua sina e ser um divisor de águas da marca por aqui, segundo Habib ele deve devolver a posição que a JAC Motors havia conquistado nos primeiros anos de Brasil, com o fim da cota de importação os veículos devem começar a incomodar seus concorrentes nacionais tanto pelo design interessante, a grande quantidade de equipamentos de série e principalmente o preço muito atraente.

Ele estréia no mercado nacional como opção ao consumidor, não é um modelo compacto aventureiro ou batizado de SUV, ele tem na origem a altura livre do solo de 18 cm, suspensão de uso em off - road, motor 1.5 VVT 16V JetFlex, com potência de 125 cv (gasolina) e 127 cv (etanol), torque máximo de 152 Nm e 154 Nm, discos ventilados nas rodas da frente e discos sólidos na traseira, cambio manual de cinco velocidades e aqui vale um esclarecimento do por que o cambio não ser automático: segundo Habib, esse modelo até dezembro tem previsão de vendas de 300 unidades / mês, já em janeiro, com o fim da cota de importação será lançado o modelo com câmbio automático com a cota de importação liberada, será o mesmo conjunto mecânico que equipa hoje o T5 automático.

Olhando o modelo mais detalhadamente dá para notar que houve uma enorme evolução tanto no desenho quanto no cuidado com o acabamento. Ele foi desenhado na Itália no JAC Italy Design Center especificamente para o consumidor brasileiro, tem a cara agressiva e diversos detalhes como apliques cromados, grade frontal com o novo logotipo da JAC Motors, moldura lateral, filetes no pára-choque traseiro e dimensões generosas.

A carroceria possui 1,57 m de altura, 1,75 m de largura e 4,13 m de comprimento, com entre eixos de 2,5 m que garante um enorme espaço interno e muito conforto para que viaja principalmente no banco traseiro além de um porta-malas de 450 litros de capacidade sem os bancos rebatidos e usa os sistemas de gerenciamento da Continental® para toda parte eletrônica.

Agora é a grande hora, testar o modelo nas condições impostas no Test Drive. O percurso da cidade até Amparo, interior de São Paulo contempla ruas, avenidas, rodovias e um pequeno trecho de estrada de terra, tudo isso para avaliar os sistemas e o conforto que o JAC T40 oferece e com a lotação de 4 adultos, colegas jornalistas também convidados. Na primeira parte da viagem optei por ser passageiro, tanto no banco do carona quanto atrás e dá para perceber que o conforto é um item muito bem resolvido. Na frente, a posição do banco com o encosto levemente reclinado permite viajar sempre com as pernas esticadas e não se torna cansativo em nenhum momento.

Já no banco traseiro, a distância para os dianteiros não te obriga a encolher as pernas, a posição do encosto fixo é ideal e o espaço suficiente para ninguém se sentir “apertado”, nem mesmo atrás do motorista. A climatização segue o padrão dos carros chineses, é rápida e muito forte, se bobear no ajuste do ar condicionado é possível que se congele os ocupantes.

Depois da apresentação para a imprensa e o almoço, voltamos para a origem e desta vez eu optei por dirigir o percurso todo. Nos pouco mais de 120 km comecei por um trecho longo de terra, o carro se porta muito bem mesmo em velocidades um pouco mais altas, os controles de estabilidade e tração funcionam com um ótimo sincronismo mesmo com piso irregular e escorregadio, as curvas são feitas com perfeição e as retas engolidas com muita facilidade, não existem aqueles famosos sustos nem aquelas saídas de traseira comuns nesse tipo de piso.

Na rodovia dos Bandeirantes, com velocidade máxima de 120 km/h e piso em ótimo estado de conservação, utilizei o Cruise Control para avaliar a retomada de velocidade em condições de exigência maior, engatada a 5ª marcha, a subida dos giros até a velocidade programada foi muito rápida e segura, imagino que, como no T5, se tivesse um câmbio automático essa subida poderia gerar uma redução de marcha para ser mais rápida ainda, mesmo assim o resultado é satisfatório.

Claro que procurei não ultrapassar o limite da estrada, mas na necessidade de uma ultrapassagem, ainda com 4 pessoas a bordo e ar condicionado ligado, a resposta imediata do motor garante segurança e dá confiança para quem dirige, as manobras são precisas graças ao sistema de ajuda elétrica da direção, um ponto muito positivo e que ainda auxilia na economia de combustível por não precisar da antiga bomba hidráulica. Com dados do computador de bordo, zerado o sistema na saída de Amparo, o consumo médio até o destino foi de 10,5 m/l, o que é muito bom se levarmos em conta que estava abastecido com Etanol, o número de passageiros, as condições das diversas opções de estrada e piso e o transito que é sempre complicado na cidade de São Paulo.

Como já é praxe e costume, a JAC Motors sempre traz uma novidade em seus modelos, desta vez ela ousou e é a pioneira em colocar no JAC T40 de série um sistema de monitoramento com câmera frontal. Essas câmeras são instaladas atrás do retrovisor interno e são aquelas que muitas vezes pegam flagrantes nas estradas pelo mundo. Essas câmeras nos veículos, em outros países do mundo, tem como conseqüência tanto a prova material em caso de acidente frontal e também a diminuição no valor do seguro dos carros, o Grupo SHC está negociando com as seguradoras para ter o mesmo beneficio aqui no Brasil para quem compra o JAC T40.

O carro que tem preço fechado de R$ 56.990 na versão Pack 2 e de R$ 58.990 na Pack 3 e já chegou nas 26 concessionárias da JAC Motors, você já pode agendar um Test Drive do modelo que tem 6 anos de garantia, revisões com preços fixos, acessórios da marca e começar a fazer parte desta nova fase da montadora chinesa, que agora acordou de vez e entra pra valer na briga com os gigantes adormecidos.


Equipamentos

Versão Pack 2


Travamento automático das portas a 15 km/h;

Aviso de cinto não acoplado (piloto e co-piloto);

Freios com ABS e EBD;

BAS - Brake Assist System (assistente para frenagens de pânico);

BOS - Brake Overide System (pedal “inteligente” de freio);

ESP - Eletronic Stability Program (controle eletrônico de estabilidade);

TCS - Traction Control System (controle eletrônico de tração);

HSA - Hill Start Assist (assistente de partida em rampas);

TPMS - Tire Pressure Monitoring System (sistema de monitoramento da pressão dos pneus);

Sensor de estacionamento traseiro;

Luzes diurnas de LED;

Luzes de conversão estática – faróis seguem o movimento de esterçamento do volante em baixas velocidades para auxiliar nas manobras;

Retrovisor interno antiofuscante;

Função GSI (Indicador de troca de marchas);

Função "Follow Me Home";

Abertura interna da tampa do tanque de combustível;

Trava elétrica das 4 portas e da tampa do porta-malas;

Imobilizador;

Alarme antifurto;

Cruise control (controlador de velocidade), acionado por teclas no volante;

Piloto automático;

Espelhos retrovisores externos com ajuste elétrico;

Faróis com regulagem elétrica de altura do facho;

Faróis com acendimento automático em função da luminosidade (sensor crepuscular);

Volante revestido em couro;

Banco do Motorista com ajuste de altura;

Dois assentos com Isofix;

Rodas de liga leve com 16 polegadas, pneus 205/55 R16;

Direção com assistência elétrica;

Comandos de áudio no volante de direção.


Versão Pack 3

JAC Connect Front Câmera;

Câmera de ré;

Kit multimídia com tela de 8 polegadas.


Como único opcional, o JAC T40 ainda é oferecido com a pintura bicolor, que custa R$ 1.990.